Sentimentos

Sentir o que se sente nem sempre é o que se explica.

Sentir o que se sente é sempre algo que pode não ser compreendido.

Sentir o que não se explica é sentir com a alma, com o mais profundo do ser.

Sentir o que se sente é sentir no “amago” do ser- humano que é humano ser.

Sentir é demonstrar as emoções, a vida que existe dentro do ser que existe em você.

Sentir é envolver-se nos deleites internos que afloram no expressar de cada ação.

Sentir é entregar-se ao que também se nega, pois negar também é sentir.

Sentir é ser de dentro para fora, é conhecer a si mesmo, é auto enxergar-se.

Sentir também é ter devaneios que levam a diversos caminhos, qual seria o melhor?

Sentir também é toque, toque na pele, toque na vida, toque na alma.

Sentir também é se autorizar, sentir é se permitir, se deixar viver o que é bom.

Sentir também é deixar ir, deixar estar, deixar chegar.

Sentir é sentimentos, é vivenciar o que se oferece.

Sentimentos são sinais, são vibrações que o interno humano quer mostrar.

Sentimentos são emoções, emoções que vibram e se mostram com cada sensação.

Sentimentos são desejos, desejos da alma, desejos do consciente inconsciente.

Sentimentos é vida. Vida que se alegra, vida que chora, vida que entristece.

Sentimentos é seguir. Seguir o que se segue, seguir o que se nega, seguir…

Sentimentos é se aproximar, é se apaixonar, é se deixar viver….

Sentimentos é recomeçar, é novamente surgir a primavera após o inverno.

Sentimentos…. Sentimentos…. Sentimentos…..

Você sentiu? Você pode sentir? Você quer sentir?

Sentimentos…. Sentimentos….. Sentimentos….

E a diferença entre SENTIMENTO X EMOÇÃO, você conhece?

Leia no link abaixo:

Diferença entre emoção e sentimento – IBRAPSI

 

Luis Claudio de Roco – Psicanalista – SPP/PR 0308

Psicanalista – Teólogo – Palestrante – Mentor – Escritor.